quinta-feira, janeiro 07, 2010

Meu Mar

Cada palavra
em minha boca
nada,
rouca e gemida,
em submersas sílabas
no jorro
- pulsado e doce -
do seu gozo...


3 comentários:

Zé da Goma disse...

Bonito! Abraço.

Maria Flor disse...

Se nada é por acaso passei por aqui...

gostei da tua poesia.

beijocas, Flor.

Edgar Borges disse...

Oi, prima!
tempo que não conseguia comentar e tempão sem visitar também. Tudo continua de primeira por aqui.
Bjs e abraços!